MINIARTIGO

CONTABILIDADE ESTRATÉGICA

—- MOMENTO CENTRAL DOS PROCESSOS DECISÓRIOS —-

QUESTÃO:

A CONTABILIDADE ESTRATÉGICA É FERRAMENTA INDISPENSÁVEL PARA A GOVERNANÇA DA QUALIDADE DA SUSTENTABILIDADE DO CICLO DECISÓRIO “PROBLEMA; ESTRATÉGIA; PROJETO; SOLUÇÃO?

  •      INTRODUÇÃO.

A utilidade da Ciência Contábil é inegável junto aos processos decisórios organizacionais e, no momento estratégico das entidades privadas ou governamentais, seu realce é total diante do alcance da estratégia dos negócios no âmbito do ambiente externo ou interno privado ou governamental.

A visão quantitativa (o ambiente do “denominador comum moeda” / da “métrica monetária” — MM) das estratégias proporcionada pela contabilidade estratégica é momento ímpar para análises gestionais com implicações na qualidade das decisões adotadas —- o sucesso da tomada de decisão no foco.

O Primeiro Congresso Nacional On-Line de Contabilidade Estratégica de 06 à 12/06/2016 (evento grátis) irá tratar —- na entrevista / palestra do Professor Doutor Loureiro Gil —- da importância da “Contabilidade Estratégica como Ferramenta indispensável para a Governança da Qualidade da Sustentabilidade do Ciclo Decisório — Problema; Estratégia; Projeto; Solução”.

Veja no link a seguir.

www.alveseribeirocontabilidade.com.br .

O patrimônio é objeto tanto da Ciência Contábil quanto da Ciência da Gestão á medida que toda decisão / ação / projeto organizacional afeta em maior ou menor grau a magnitude do patrimônio de organizações privadas ou governamentais.

O contador (a) durante o século XX (décadas de 70, 80 e 90) teve que aprender a conviver / que absorver conhecimentos da tecnologia da informação (TI) —- ministrei centenas de palestras e de disciplinas em cursos de graduação e de pós-graduação e escrevi dezenas de artigos e livros sobre a Contabilidade e a Tecnologia da Informação (TI) no século XX.

Neste século XXI deverá o contador (a) trabalhar integrado com modelos / metodologias da gestão, ou seja, deverá ter conhecimentos da dinâmica dos processos decisórios, ou ainda, conhecer o processo / produto da tomada de decisão —- este tem sido o meu atual ambiente de trabalho junto a comunidade contábil brasileira / este é o desafio que tenho enfrentado no século XXI praticando / explicando / propondo em disciplinas de pós-graduação de natureza “Contabilidade ou Controladoria Estratégica” um modelo / metodologia de gestão de negócios / de TI e a contribuição que demonstrações contábeis e relatórios / produtos de controladoria (contabilidade; custos; orçamento; investimento) aportam à decisão —- a visão é “o ciclo de vida da decisão com os produtos da controladoria / contabilidade estratégica”.

Inclusive em disciplinas de Auditoria Estratégica, com o conteúdo voltado à contabilidade inserida nos processos decisórios, eu insisto na importância do conhecimento do “processo / produto decisório” como insumo / diferencial competitivo para Contadores (as) que almejam ascensão a funções na Alta Administração ou nos Conselhos de Administração ou Fiscal organizacional —- o campo de trabalho / de empreendedorismo / de expansão para empresários contábeis.

  • A ASCENSÃO SOCIAL É DECORRÊNCIA NATURAL DA ASCENSÃO PROFISSIONAL.

ALERTA

  • OS GESTORES CONHECEM MAIS SOBRE O PROCESSO / PRODUTO CONTÁBIL DO QUE CONTADORES (AS) CONHECEM SOBRE PROCESSO / PRODUTO DA TOMADA DE DECISÃO A DISCIPLINA “CONTABILIDADE OU CONTROLADORIA ESTRATÉGICA” NO FOCO —- A LÓGICA E A PROVA DO ARGUMENTO.

A Ciência da Gestão ocorre no horizonte “presente / futuro” com uso de ferramentas tecnológicas para projeção e simulação de cenários futuros organizacionais —- o ambiente da vertente “contingência; incerteza; risco” praticada com as variáveis “recorrência”, “não recorrência”, “acaso”.

O primeiro posicionamento conceitual dos contadores para convívio com a tomada de decisão implica no entendimento da variável “governança da qualidade da sustentabilidade”.

“Governança” explicitada nos momentos (1) “transparência” e (2) “responsabilidade” os quais são objeto da profissão contábil (1) segundo a visão de “disclosure” (evidenciação; revelação; publicidade) e (2) das regras de conduta da atividade contábil através do Código de Ética Profissional do Contador (Resolução CFC número 803 / 96) —- a disponibilidade da informação e do conhecimento contábil para apostas no valor patrimonial no amanhã do negócio.

“Qualidade” na expectativa de “ser melhor amanhã do que hoje” a qual é retratada nos programas da qualidade contábil desenvolvidos no âmbito das mais diversas entidades da área contábil brasileira —- a integridade da informação / do conhecimento contábil para exercício das variáveis “recorrência”, “não recorrência”, “acaso” quando da projeção e simulação da eficácia (utilidade / benefício) da decisão diante dos cenários futuros dos negócios privados ou governamentais.

“Sustentabilidade” como “não esgotar ou reciclar hoje os recursos necessários ao amanhã organizacional” refletida, por exemplo, nas transações contábeis registradas hoje na perspectiva do valor contábil futuro organizacional —- o valor justo hoje dos ativos tangíveis ou intangíveis organizacionais na perspectiva do horizonte “presente / futuro” no foco.

A variável-chave “governança da qualidade da sustentabilidade” aplicada no âmbito da contabilidade tem como base lógica a existência da “transação contábil prevista” —- o ambiente da transação contábil futura não comprometida, mas antecipada.

As estratégias organizacionais induzem abordagens diversas ás demonstrações contábeis do hoje quanto ás perspectivas futuras do negócio.

As Notas Explicativas de Demonstrações Contábeis Alternativas como Visões da Sustentabilidade Contábil é o realce da importância da Contabilidade Estratégica junto aos processos decisórios.

  • A “DESORDEM” NO AMANHÃ DO MERCADO / DA SOCIEDADE REGISTRADA NA PERSPECTIVA
  • DE SEU IMPACTO PATRIMONIAL NO HORIZONTE “PRESENTE / FUTURO” ORGANIZACIONAL.

CONCLUSÃO.

A “viagem no espaço / tempo gestional” visa administrar a “desordem no horizonte presente / futuro” da sociedade e do mercado com cenários do amanhã favoráveis aos interesses patrimoniais das organizações e de seus stakeholders centrais (os acionistas e a alta administração) —- com o tratar a vertente “problema; estratégia; projeto; solução”.

A auditoria da contabilidade estratégica com ênfase a teste, prova e recomendações com emissão de opinião acerca da “governança da qualidade da sustentabilidade” da integração das demonstrações contábeis e de relatórios financeiros com os processos decisórios organizacionais.

A utilidade dos produtos da controladoria organizacional junto ao ciclo de vida da decisão com upgrade patrimonial.

Maior reconhecimento profissional a contadores (as) com reflexos na remuneração e posicionamento funcional como decorrência natural da contabilidade estratégica focada na tomada de decisão.

  • O “STRESS DA DECISÃO” COM O CONHECIMENTO CONTÁBIL.

As metodologias para (1) gestão e operação e correspondente (2) auditoria de negócios privados ou governamentais (1) “CCM; DEQ; SWOT; BSC; PMBOK; BIN / MARCA PRÓPRIA” e (2) “AUD;CCM; DEQ; SWOT; BSC; PMBOK; BIN / MARCA PRÓPRIA” viabilizam a utilidade da “contabilidade estratégica como insumo central dos processos decisórios”.

O uso da tecnologia da informação (TI), com uso de “bancos de dados da decisão”, melhor justifica metodologias para processos decisórios quando da logística, da controladoria e da gestão de pessoas no ambiente organizacional.

Dê um “banho” de cultura gerencial e tecnológica do século XXI aos profissionais de sua organização privada ou governamental ou aos alunos de seus cursos de pós-graduação —- contrate o professor Loureiro Gil e equipe para explanar ou desenvolver as abordagens discorridas no presente mini artigo e apresentadas no site do Primeiro Congresso Nacional On-Line de Contabilidade Estratégica.

Incorporar nova lógica, práticas e tecnologias para a gestão de negócios privados ou governamentais é momento atual das organizações e governos vencedores neste século XXI.

A educação nos níveis de graduação, pós-graduação (extensão e especialização), mestrado acadêmico ou profissionalizante (MBA) ou de doutorado —- nas faculdades e universidades privadas ou públicas, bem como, nas universidades corporativas —- na atividade “Processos Decisórios – A Tomada de Decisão – Contabilidade Estratégica” com uso das ferramentas tecnológicas “sistema de informação decisão” e “stress decisório com Contabilidade Estratégica com o uso de TI” deve ser analisada e revisada.

►O PROFESSOR GIL E EQUIPE POSSUEM A COMPETÊNCIA, A QUALIDADE PROFISSIONAL E A ABORDAGEM TECNOLÓGICA PARA DESENVOLVER, EXPLICAR E APLICAR AS IDÉIAS DISCUTIDAS.

Pesquisas, consultoria, trabalhos acadêmicos, palestras, seminários, disciplinas de pós-graduação (especialização; MBA; mestrado acadêmico; doutorado) são de importância definitiva para trabalhar “Contabilidade Estratégica voltada aos Processos Decisórios”.

4 – BIBLIOGRAFIA.

1 — LIVRO “DESAFIO AOS DEUSES – A FASCINANTE HISTÓRIA DO RISCO”—AUTOR: PETER BERNSTEIN – (EDITORA CAMPUS) DO RIO DE JANEIRO – PRIMEIRA EDIÇÃO 1996 .

2 – LIVRO “GESTÃO: CONTROLE INTERNO, RISCO E AUDITORIA” – AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; CARLOS HIDEO ARIMA; WILSON TOSHIRO NAKAMURA – EDITORA SARAIVA DE SÀO PAULO – PRIMEIRA EDIÇÃO – MARÇO DE 2013.

3 – LIVRO: “CONTINGÊNCIAS EM NEGÓCIOS” – AUTOR: ANTONIO DE LOUREIRO GIL – EDITORA SARAIVA DE SÃO PAULO – PRIMEIRA EDIÇÃO DIGITAL – WWW.SARAIVAUNI.COM.BR — 2012.

4 – LIVRO “BALANÇO INTELECTUAL” – AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; JOSÉ CARLOS ARNOSTI – EDITORA SARAIVA DE SÀO PAULO – PRIMEIRA EDIÇÀO 2010 E EDIÇÃO DIGITAL — 2012.

5 – LIVRO “SISTEMAS DE INFORMAÇÕES CONTÁBEIS”—AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; CESAR AUGUSTO BIANCOLINO; TIAGO NASCIMENTO BORGES – EDITORA SARAIVA SÃO PAULO – PRIMEIRA EDIÇÃO 2011.

6 – LIVRO “GESTÃO DA QUALIDADE EMPRESARIAL” – AUTOR ANTONIO DE LOUREIRO GIL – PUBLICAÇÕES EUROPA – AMÉRICA DE LISBOA PORTUGAL – PRIMEIRA EDIÇÃO 2010 – Á VENDA NA LIVRARIA CULTURA ESQUINA DE AVENIDA PAULISTA COM A RUA AUGUSTA (SÃO PAULO – BRASIL).

7 – LIVRO “GESTÃO DE TRIBUTOS NA EMPRESA MODERNA” – AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; PAULO ROBERTO GALVÃO; FLÁVIO FERNANDES PACETTA; JOÃO ANTONIO PIZZO; JOSÉ EDUARDO MOGE; ROGÉRIO LEITE – EDITORA SENAC – SP – PRIMEIRA EDIÇÃO 2011.

8 — LIVRO “MICRO EMPRESA: GESTÃO INOVADORA E DIREITO”—ARTIGO / CAPÍTULO “INOVAÇÃO E RISCO: O AMBIENTE DA GESTÃO DA MICRO E DA PEQUENA EMPRESA NO SÉCULO XXI” – AUTOR: ANTONIO DE LOUREIRO GIL – EDITORA ÁGORA-RJ — PRIMEIRA EDIÇÃO 2015.

9 – LIVRO “AUDITORIA DA GESTÃO E DA OPERAÇÃO DO NEGÓCIO COM TI” – AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; CARLOS HIDEO ARIMA; NAPOLEÃO VERARDI GALEGALE —- EDITORA SARAIVA EDUCACIONAL —- PRIMEIRA EDIÇÃO 2016.

10 – LIVRO “GESTÃO PÚBLICA MUNICIPAL DE ALTO DESEMPENHO” – AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; PAULO ROBERTO GALVÃO; ROBERTO DE OLIVEIRA JUNIOR —- EDITORA JURUÁ-PR —- PRIMEIRA EDIÇÃO 2016.

Professor Doutor Antonio de Loureiro Gil

  • PRIMEIRO DOUTOR EM CONTROLADORIA E CONTABILIDADE DO BRASIL FORMADO PELO CURSO DE DOUTORADO E MESTRADO

DO DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO —- PRIMEIRO CURSO DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE DO BRASIL —- EM 1986.

  • PROFESSOR TITULAR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ (UFPR).
  • PROFESSOR DE DOUTORADO E DE MESTRADO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP).
  • DOUTOR E MESTRE PELA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP) COM TESE E DISSERTAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI).
  • OFICIAL DA MARINHA DE GUERRA DO BRASIL, FORMADO PELA ESCOLA NAVAL DO RIO DE JANEIRO (BRASIL) —- SERVIU NO CONTRATORPEDEIRO “PERNAMBUCO” (4) ANOS E NA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) (4) ANOS DA MARINHA DE GUERRA DO BRASIL.
  • EXECUTIVO E CONSULTOR DE EMPRESAS PRIVADAS OU GOVERNAMENTAIS NO BRASIL
  • AUTOR DE VINTE E UM LIVROS NO BRASIL E DE UM LIVRO EM PORTUGAL — EDITORA SARAIVA; EDITORA ATLAS; EDITORA SENAC – SP (SÃO PAULO – BRASIL); EDITORA ÁGORA (RIO DE JANEIRO — BRASIL); EDITORA  JURUÁ (CURITIBA – PARANÁ); PUBLICAÇÕES EUROPA – AMÉRICA (LISBOA – PORTUGAL) —- OITENTA MIL EXEMPLARES VENDIDOS.
  • CONSULTOR, PALESTRANTE E COM ARTIGOS NO BRASIL, ESTADOS UNIDOS, FRANÇA, ESPANHA, PORTUGAL, ISRAEL, MÉXICO, ARGENTINA, URUGUAI, PANAMÁ.